Imprensa de Belém como alvo de ataques dos poderes estadual, municipal e federal

 Imprensa de Belém como alvo de ataques dos poderes estadual, municipal e federal

O repórter Fabiano Villela, da TV Liberal/ Globo, e o cinegrafista Reginaldo Gonçalves sendo hostilizados por apoiadores bolsonaristas (foto de Filipe Bispo Vale)

Novo ano começando e nesta postagem vou me redimir de não ter postado algumas fotos abaixo, à época. O que servirá como um #TBT recente também. E mostrará as tantas vezes que nós, jornalistas e fotojornalistas, fomos desrespeitados e humilhados por governos atuais, sejam eles federal, estadual ou municipal.

Estado – Não vamos muito adiante, mas a mídia dita alternativa foi alvejada de várias formas em Belém e no Pará, desde 2019. O governo de Helder Barbalho (MDB) não se cansa de PERSEGUIR quem tenha a “audácia” de mostrar o lado podre da gestão desse barbalhinho.

Pouca gente sabe, mas desde o início de 2020, em meio à pandemia de covid-19, o governo Heldissss tem promovido uma perseguição acirrada contra sites e blogs na internet no Pará.

Somente em 2020, Helder, com ajuda de seu juiz de estimação, Heyder Tavares, promoveu mandado de busca & apreensão nas casas dos blogueiros Diógenes Brandão e Eduardo Cunha. Ambos perderam computadores, cadernos de anotações e celulares, além de, o pior de tudo, perderem os sites deles que foram sumariamente tirados do ar. Diógenes perdeu o blog As Falas das Polis, que existia desde 2006, e Eduardo, o site ParáWebNews, no ar desde 2018. Além deles, o jornalista Ronaldo Brasiliense, que mora e trabalha em Óbidos, região oeste do Pará, também foi alvo de um mandado de busca & apreensão, autorizado pelo mesmo Heyder Tavares.

Como se bastasse Heldisss ferrando com os blogueiros, assessores do governo dele também se arvoraram e também se utilizaram de meio judiciais para também tentar calar jornalistas. São os casos do ex-delegado geral da Polícia Civil do Pará, Alberto Teixeira, cuja a palavra corrupção é o nome do meio, que sumiu em meio a tantas denúncias, mas deixou seus bons processos contra jornalistas na esteira; e Jarbas Vasconcelos, da ex-Susipe, que está processando o blogueiro Evandro Correa, editor do blog O Antagônico. Como veem, a vida de blogueiro no Pará, “não é fácil, não é fácil!”

Há poucos meses, quando site Ver-o-Fato, do jornalista Carlos Mendes, começou a publicar as conversas de WhatsApp de Helder Barbalho, que constam do inquérito da Polícia Federa, nas quais ficava bem claro que, ao contrário do que dizia, Helder era bem amiguinho do dono da empresa que vendeu os respiradores imprestáveis à Sespa/Governo do Pará, o site foi continuamente alvo de ataques pela internet que o tiraram seguidamente do ar. Se bem quis manter o site e continuar com as denúncias, Mendes teve que abrigar o site em um provedor internacional e mais seguro.

Uma notícia de fato, gerada ou parida pela coluna do Dutra motivou o procurador de justiça Manoel Santino a determinar, em março do ano passado, investigação do Ministério Público. Dutra publicou e a reportagem foi replicada por muitos, até na CNN Brasil. A denúncia se refere ao “escondidinho” do hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, onde estavam entocados alguns dos respiradores já citados por aqui. Está engavetando até hoje. Manoel, que de Santino nada tem, só vai abrir a gaveta se for indicado ao desembargo. Dizem. É o que dizem.

Denúncias – O mais importante é se não fossem esses blogs e mais os sites Ver-o-Fato, de Carlos Mendes, Ururá Tapera, de Franssinete Florenzano, a Coluna do Dutra, do jornalista Olavo Dutra, que foi demitido de O Liberal, em um pedido direto de Heldissss, a corrupção que grassa no governo Helder Barbalho não chegaria a ninguém da sociedade civil.

Foi graças a essas denúncias que o barbalhinho foi alvo de duas operações da Polícia Federal, inclusive no Palácio do Governo e na casa particular dele no Lago Azul, e teve que voltar atrás em várias falcatruas como são os casos das cestas de alimentos da Seduc-PA, com distribuição por uma empresa de fachada; o caso dos respiradores imprestáveis da Sespa; álcool em gel superfaturado; garrafinhas PET superfaturadíssimas; prendedores de gravata e bottons em prata e pedras semipreciosas também com os preços nas alturas; mala de espionagem adquirida pela Segup-PA; o assessor da Sespa-PA com quase R$ 1 milhão, em dinheiro vivo, escondido em um cooler e tantos outros.

Essas reportagens estão anexadas em processos movidos pelo Ministério Público Estadual e Federal e servem de base para as investigações. Eu ouvi alguém aí falar sobre “papel social do jornalismo”?

O fato é que a chamada “grande imprensa” em Belém está toda na mão de Heldissssss. Eu falei TODA. O último reduto que o combatia, o portal Roma News, foi o último a cair, no ano passado. E estamos conversados assim.

Município – Por outro lado, o terceiro mandato de Edmilson Rodrigues (PSOL), vulgo Ed Potoca, que começou em 2021, está essa graça que todos veem. Todos os dias, eu recebo reclamações de colegas das redações que não aguentam mais o pouco caso da gestão Ed para com a imprensa.

Isso porque, a maioria dos eleitores de Ed está na imprensa de Belém, que até “carta de apoio” fez e assinou para ele.

Ed também não fica atrás em querer calar da “mídia alternativa”. Nem vou me alongar, mas a título de exemplo, a assessoria do Ed, leia-se Comus, não aceitou nenhum pedido de “entrevista de balanço” no fim do ano feito pelo grupo que combate, mesmo, a gestão dele.

Mas aceitou o pedido de entrevista de notórios puxa-sacos, como o blog do Sávio Barbosa, aquele mesmo que todos sabem ser “pau mandado” do Heldissss; e do – vou parar e rir, sério! – do new site Belém Trânsito que, todos já perceberam, depois que Ed assumiu a PMB, nunca mais viu um defeitinho em BelHell. Os irmãos Paolelli, donos do site, fazem a egípcia e se fingem de mortos. Vai vendo.

Quase que Ed concedeu entrevista para o blog, agora teen, do ex-repórter mirim. É, ele continua rondando por aí. Abram os olhos. Jesus, Maria, Nazinha e José, valei-nos!!

Federal – O mais acachapante fica para o final. Governo Jair Bolsonaro, o pior, de longe, presidente que já tivemos o desprazer de ter. Eu jogo a “culpa” em algum karma que estamos pagando. Não é possível tantos desmandos desse governo com a imprensa e com a população brasileira.

Em um momento #FicaADica, sugiro que todos assistam o documentário “Cercados”, que está no GloboPlay, e a ele não tenho nada mais a acrescentar. O que se vê nesse documentário dói na alma.

Humilhação na visita presidencial – No mês de abril do ano passado, Bolsonaro fez uma visita ao Pará, para participar da entrega de cestas de alimentos do programa Brasil Fraterno, no 8º Depósito de Suprimentos, na rodovia Arthur Bernardes, em Belém. Como governo Heldissss viva às turras com o bozo, logo se formou uma pequena multidão, dizem as más línguas, pagas pelo barbalhinho, pronta para um protesto contra Bolsonaro.

A comitiva do (des)presidente foi avisada ainda no avião. O palanque das entregas foi deixado de lado e a cerimônia transferido para dentro de um hangar da Base Aérea de Belém. Bolsonaro mal saiu do avião presidencial.

E os coleguinhas da imprensa ficaram como? Isso mesmo, tratados com descaso e humilhados. Quando foi avisado que a cerimônia tinha mudado de lugar, soldados da Aeronáutica colocaram os jornalistas dentro de um micro-ônibus, uns por cima dos outros, para a bendita cerimônia que não teve, é claro, a entrevista coletiva à imprensa que fora prometida.

Os vídeos abaixo também foram feitos pelo fotojornalista Filipe Bispo Vale.

E teve também ataques dos apoiadores do bozo que, nem de longe, foram incomodados pela Aeronáutica. Um colega contou: “A gente foi evacuado da frente da Base Aérea, porque estávamos sendo ameaçados pelos bolsonaristas”.

Vejas as fotos:

Marx Furtado tentando se esquivar da chuva que caiu (foto de Filipe Bispo Vale)
Cristino Martins, fotógrafo da Redação Integrada O Liberal (foto de Filipe Bispo Vale)
Keila Ferreira, editora do caderno de política de O Liberal (foto de Filipe Bispo Vale)
Os miguxos Osmarino Souza e Sidney Oliveira (foto de Filipe Bispo Vale)
Bruno Cruz e Marx Vasconcelos sendo conduzidos “gentilmente” ao ônibus (foto de Filipe Bispo Vale)
Marx, de novo (foto de Filipe Bispo Vale)
O repórter de política de O Liberal, Eduardo Laviano (foto de Filipe Bispo Vale)
Raimundo Paccó e Jumbinho, este, cinegrafista da TV Cultura (foto de Filipe Bispo Vale)
Paccó e o Amigão Sidney (foto de Filipe Bispo Vale)
Igor Mota, fotógrafo da Redação Integrada O Liberal (foto de Filipe Bispo Vale)
Fabiano Villela e Reginaldo Gonçalves, da equipe de rede da TV Liberal (foto de Filipe Bispo Vale)
Fabiano e Reginaldo cercados de militares e apoiadores do bozo (foto de Filipe Bispo Vale)
Filipe Bispo Vale sempre de olho em tudo ao redor (foto de Filipe Bispo Vale)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *