Secretaria de Comunicação (Secom) favorece TV Liberal com informações privilegiadas

Até aquele embuste chamado Sávio Barbosa, aí de Belém, já sabe que estou fora de BellHell e morando no Rio de Janeiro, mas super, mega e blaster exonerada da Comus/Prefeitura de Belém.

Esclarecido esse ponto, e eu cá de longe e em quarentena forçada, recebo informações da área de comunicação, jornalismo e similares em Belém do Grão Pará.

Quer dizer, então, que a galera da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), enquanto apêndice da Casa Civil do Governo do Pará, continua aprontando?  

Privilégios – Uma coleguinha, que deixarei no anonimato, é claro, me mandou uma mensagem: “Dedé, mana, fala no teu blog/site sobre os privilégios da TV Liberal com informações do Governo do Estado. Aliás, não somente com informações, mas com as demandas solicitadas pela imprensa. Como a galera que está na Secom é toda ex-TV Liberal, eles acabam beneficiando os ex-colegas de redação”.

Minha fonte prossegue: “A gente faz solicitação a eles, não respondem e quando vemos a TV Liberal está dando [a informação] sozinha”

Vamos aos fatos: apesar de ter uma galera que quer ver a caveira dele na TV Liberal, o querido William Serique (quem mais, quem?) ainda é a sombra de Vera Oliveira, e tem os contatinhos diretos com a redação da TV Liberal.

Aprovação – Sobre a Secom não responder às demandas da imprensa, o problema reside no fato de que, tudo, absolutamente tudo, desde nota, respostas e até personagens solicitados, precisa passar pela a provação do trio Serique, Vera e Fernanda Pinheiro. Assim, é lógico, que os prazos são todos perdidos, evidentemente, menos para a TV Liberal.

Caso Natascha – O que me chega aos ouvidos é que Vera Oliveira tem agora, inclusive, o poder de demitir e contratar pessoas para a redação da TV RBA. Alguém soube que Natascha Batalha, que era chefe de redação há anos, saiu da RBA e está na Record Belém? Pois bem, saibam que essa saída é resultado de uma fritada daquelas que Verinha promoveu contra Natascha.

O que mais impressiona é que os veículos do grupo RBA – rádios, jornal, televisão e portal DOL -, que são propriedade da família do governador Helder Barbalho, são tratados com esse desdém todo pela Secom. Como assim?

2 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *