Celeste Heitmann lança o livro “Lembranças são Passaportes”

 Celeste Heitmann lança o livro “Lembranças são Passaportes”

Celeste Heitmann lançou o livro “Lembranças são Passaportes”

O livro “Lembranças são Passaportes” é uma viagem de cores, sabores e emoções entre Pará e Portugal, e foi lançado na quinta-feira passada, dia 17, no Espaço São José Liberto, em Belém.

A escritora também é artista plástica

Designer de joias e acessórios de moda, artista plástica, escritora, empreendedora. Uma mulher que transita com desenvoltura por vários cenários é a personagem principal do livro “Celeste Heitmann – Lembranças são Passaportes”, que foi lançado em Belém. O livro relata a trajetória de sucesso da menina nascida em Lisboa, que se descobriu “paraoara” em Belém do Pará, entre o calor e a chuva abaixo da linha do Equador.

Testemunho – Muito além de uma biografia, o livro é um testemunho do amor da artista portuguesa pela cultura paraense, fonte de sua inspiração para criar bolsas, joias, camisas e pinturas em telas. Em mais de 160 páginas, o leitor vai encontrar a Celeste criança, adolescente e adulta, que constituiu família e construiu, nas últimas sete décadas, uma história de determinação, descobertas e sucesso no campo das artes plásticas, e também na criação de joias, bolsas e demais acessórios de moda, temperada com os sabores de uma gastronomia sem igual.

No livro, Celeste imprime sua admiração pelos encantos da terra que recebeu sua família nos anos 1970, onde encontrou os azulejos nas fachadas e o calçamento em pedra que a conduziram à atmosfera da infância na capital portuguesa. A publicação tem o patrocínio do Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (Simineral); do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme); de José Conrado Azevedo Santos, presidente da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), e Carlos Fernandes Xavier, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa).

Fascínio e devoção – “Fiquei fascinada quando comecei a descobrir a herança portuguesa no centro histórico de Belém, nas praças e casarões. Era como se estivesse andando pelas ruas de Lisboa. E também foi nesta terra, que aprendi a amar como se aqui tivesse nascido, onde dei à luz meus filhos e vazão às minhas habilidades artísticas, que me encontrei na devoção a Nossa Senhora de Nazaré. Minha história com a ‘Padroeira dos Paraenses’ é um dos mais belos capítulos do livro”, conta Celeste.

Celeste tem uma profunda ligação com Nossa Senhora de Nazaré

A autora também narra sua decisão de voltar às salas de aula para fazer um curso superior, após os 60 anos idade. “Não foi uma decisão fácil. Mas, como sempre, contei com o total apoio de meu esposo, Lucas, dos meus filhos e de amigos muito queridos. Fui adiante, concluí o curso de Moda e ainda fui homenageada pela faculdade”, relata.
Uma história que resultou em um Trabalho de Conclusão de Curso homenageando o grande maestro e compositor paraense Waldemar Henrique, que inspirou uma das coleções das famosas bolsas Celeste Heitmann.

“Lembranças são Passaportes” promete levar o leitor a uma bela viagem de cores, sabores, beleza, fé e criatividade. “É para ler e degustar com os olhos”, ressalta a autora.

Serviço:

O livro de Celeste Heitmann está sendo vendido nas lojinhas do Espaço São José Liberto que fica localizado na praça Amazonas, entre a rua 16 de Novembro e avenida Conselheiro Furtado.

Fonte: assessoria de imprensa do evento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *