Sinjor-PA esclarece sobre questões levantadas por jornalistas de O Liberal

 Sinjor-PA esclarece sobre questões levantadas por jornalistas de O Liberal

Sinjor-PA responde às reivindicações dos jornalistas do grupo O Liberal

O Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA) enviou esclarecimentos a este site sobre as questões de trabalhos levantadas pelos jornalistas do portal oliberal.com, jornais O Liberal e Amazônia. Leia a nota na íntegra:

“O Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA) informa que enviou ofício ao Grupo Liberal sobre a ausência do equipamento de registro de ponto. O sindicato estava analisando a situação com a assessoria jurídica na última semana. O SINJOR também cobrou explicações da empresa quanto à contabilização das horas extras praticadas pelos jornalistas nos dias em que o relógio não estava funcionando. 

Desde o dia 27 de abril, o SINJOR-PA tenta se reunir com o Grupo Liberal para tratar da data-base da categoria. Um dos pontos listados é justamente o não pagamento de horas extras. O SINJOR encaminhou outras quatro solicitações cobrando a reunião de data-base que visa discutir 26 reivindicações elencadas pelos jornalistas da empresa em assembleia geral. 

Demandas – Dentre as demandas, estão: o reajuste salarial do último ano (2021/2020) e as perdas dos anos anteriores, que juntas ultrapassam 14%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC); incorporação do plano de saúde no acordo coletivo; e melhorias nas condições de trabalho como aumento da frota própria de carros de reportagem da empresa, compra de novos computadores, e cadeiras novas para a redação.

Acordo coletivo – Vale ressaltar que devido a ausência de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente entre o Grupo Liberal e o Sindicato dos Jornalistas não existe banco de horas para a categoria, ou seja, de acordo com a CLT todos os jornalistas do grupo que fizerem hora extra devem ser remunerados normalmente no mês seguinte. O Grupo Liberal já perdeu anteriormente ação na Justiça para o SINJOR envolvendo o não pagamento de horas extras. Com base nesta decisão, os jornalistas do Grupo Liberal podem entrar com ações individuais cobrando esse direito.

Assessoria jurídica – A nova assessoria jurídica do SINJOR está à disposição para os jornalistas sindicalizados, tendo inclusive ajuizado duas ações de trabalhadores cobrando horas extras pelo não pagamento da jornada extraordinária e pela ausência de compensação e banco de horas.

O SINJOR-PA informa que caso a empresa não resolva o problema do relógio do ponto, e nem chame o sindicato para tratar da data-base nas próximas 48 horas, pretende tomar outras medidas legais contra o Grupo Liberal.

Condições de trabalho – Aos jornalistas do Grupo Liberal e do Estado do Pará, os diretores do SINJOR ressaltam que estão sempre à disposição para ouvir os trabalhadores e tomar as medidas de maneira coletiva para lutar por melhorias nas condições de trabalho. A diretoria do SINJOR entende a necessidade e a dificuldade em reconstruir a organização da luta dos trabalhadores, portanto sempre está aberta a sugestões e a apoiar as iniciativas dos próprios trabalhadores nas suas empresas.

O SINJOR-PA reforça a necessidade para os jornalistas emitirem o registro profissional junto a Superintendência Regional do Trabalho do Pará (SRTE-PA) e associarem-se ao sindicato para fortalecer a entidade e a luta da categoria”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *