O Liberal completa 75 anos de fundação e outras novas da imprensa de Belém

 O Liberal completa 75 anos de fundação e outras novas da imprensa de Belém

Sede do jornal O Liberal, no bairro do Marco, em Belém (foto de Elivaldo Pamplona)

Na última segunda-feira, 15, o jornal O Liberal, que faz parte da Redação Integrada do Grupo Liberal, chegou aos 75 anos. O impresso é o jornal mais antigo, ainda em funcionamento, no Pará. Para celebrar a data, a série documental “Somente a Verdade”, do canal LibPlay, já está disponível aos espectadores. O jornal, que foi fundado pelo ex-governador do Pará, Magalhães Barata, circula desde o ano de 1946. Ao ser adquirido por Romulo Maiorana em 1966, passou a integrar o grupo Liberal, que atualmente é um dos maiores grupos de comunicação do Brasil, e continua sob a direção dos filhos de Romulo Maiorana.

Veja aqui o primeiro episódio da série “Somente a Verdade”: https://www.oliberal.com/play/somente-a-verdade/somente-a-verdade-ep-1-s%C3%A3o-jos%C3%A9-e-os-libertos-a-hist%C3%B3ria-de-ninja-1.458845

Honrarias – Por conta do aniversário, a Câmara Municipal de Belém, em sessão na manhã desta terça-feira, 16, concedeu algumas honrarias a jornalista do grupo O Liberal. A editora do jornal O Liberal, Bianca Leão, vai receber o título de Repórter Padrão; o fotojornalista Tarso Sarraf e o apresentador da TV Liberal, Márcio Lins, vão receber a Medalha Isaac Soares. Os vereadores de Belém também aprovaram o título de Honra ao Mérito ao programa Bom Dia Pará, da TV Liberal.

Em comemoração aos 75 anos de O Liberal, uma edição especial de aniversário, com data dupla de publicação (sábado, 27, e domingo, 28 de novembro), está sendo preparada pela equipe de profissionais do jornal. 

Outras notícias:

Keila – A jornalista Keila Ferreira, coordenadora do caderno Política & Economia do jornal O Liberal, é uma das três finalistas, representando a região Norte, no prêmio +Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças do porta Jornalista & Cia. A cerimônia de premiação será em 30 de novembro, em formato híbrido, com um almoço presencial no hotel Renaissance, em São Paulo (SP), e transmissão ao vivo pelo canal do Portal dos Jornalistas no YouTube.

As duas finalistas da região Norte, além de Keila Ferreira, são Ana Gabriela Régis (da rádio CBN Tocantins) e Andreia Leite (jornal do Commercio)

Ellen – A jornalista Ellen Macedo, depois de muitos anos na Norsk Hydro, deixou aquela mineradora e agora está como coordenadora de comunicação interna na empresa de energia elétrica no Pará, Norte Energia.

Ellen Macedo deixou a Hydro e está na Norte Energia

Renata – A Associação Brasileira do Alumínio (ABAL) apresentou aos associados a jornalista paraense Renata Freitas como nova diretora de Comunicação e Gestão. Ela é graduada pela Universidade Federal do Pará, além de possuir especialização em Sustentabilidade. Com 20 anos de experiência, Renata já trabalhou na Federação das Indústrias do Pará (Fiepa) e na Alunorte, refinaria de alumina da Hydro do Brasil. Recentemente, exerceu o cargo de gestora global de Marca e Comunicação na Hydro ASA, em Oslo, na Noruega.

Novo portal – O perfil no Twitter, Belém Trânsito, criado em 2009, desde o início deste mês, passou a atuar como um portal de notícias na internet. O novo empreendimento é de responsabilidade de Thiago Pamplona Paolelli – que não é jornalista -, e tem entre seus colunistas a jornalista Mary Tupiassu.

Mary Tupiassu é colunista do portal Belém Trânsito

Acadêmico – O jornalista, radialista e escritor Edyr Augusto Proença é o mais novo membro da Academia Paraense de Jornalismo. A eleição dele, por unanimidade, foi realizada na semana passada.

Edyr Augusto Proença é o mais novo membro da Academia Paraense de Jornalismo

Jabuti – A jornalista paraense, de Santarém, Monique Malcher, radicada em São Paulo, é uma das finalistas do Prêmio Jabuti 2021, na categoria Contos. “Flor de Gume” (2021), é o livro de estreia de Monique.

Monique Malcher está na disputa do Prêmio Jabuti 2021

Documentário – No final de outubro, estreou o documentário “Iracema e o Brinquedo de Voar”, direção do jornalista Felipe Cortez, que apresenta o teatro do Pássaro Junino pelos olhos da Mestra Iracema Oliveira. O projeto foi selecionado pelo Edital de Multilinguagens da Secretaria de Cultura do Estado do Pará (Secult-PA), via Lei Aldir Blanc Pará, e estará disponível no Youtube por 15 dias, desde o dia 30 de outubro.

Cena do documentário “Iracema e o Brinquedo de Voar”, direção de Felipe Cortez

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *