Recusa em usar o próprio carro para trabalhar, faz Vera Oliveira demitir Ricardo Amanajás

 Recusa em usar o próprio carro para trabalhar, faz Vera Oliveira demitir Ricardo Amanajás

O fotógrafo Ricardo Amanajás (à frente, de camisa preta) e outros coleguinhas retratistas quando foram para a Secom-PA

Eu juro que estou aqui, quieta no meu canto, querendo falar de flores – como na canção do Geraldo Vandré – mas os desmandos nas assessorias de Belém do Pará me obrigam a beber (opos!, nem bebo), me fazem escrever.

E vamos lá, mais uma de Verinha. Aeeeeee! Verinha é sucesso aqui no meu site.

No início do governo Heldissssss, em 2019, como é de conhecimento de todos, todas, toDES, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom-PA), cuja titular nem jornalista formada é, nossa querida Vera Oliveira, virou sucursal do jornal Diário do Pará, de propriedade da família Barbalho, e da TV Liberal, colegas dessa emissora que integravam a famosa “panela de William Serique” – olha, o migs aqui de volta, que nem o “boêmio”.

Do Diário, quase todos fotógrafos migraram para a Secom-PA: Rogerio Uchôa, Maycon Nunes, Marco Santos (o fotógrafo oficial do Heldisssss), Marcos Nascimento, Ricardo Amanajás, Fernando Araújo, Marcelo Seabra (que já tinha deixado o Diário, mas foi para a Secretaria) e outros que posso estar me esquecendo. Todos, diga-se, grandes e talentosos fotojornalistas. Vera acaba de demitir Ricardo Amanajás.

Carro próprio – Mas o caso do Amanajás revela um desmando que revelo agora: Verinha queria que Amanajás utilizasse o carro dele para fazer pautas para quem? Ora, ora: para a Secom-PA. Vejam vocês o nível desse desvio de função: o Amanajás, além de fotografar, teria que dirigir o carro e ainda, pagar o combustível.

Quando ele foi cobrar pelo combustível que gastou, é claro, que não foi ressarcido. “Chupa essa maga!”

Versão do Ricardo – O fotojornalista Ricardo Amanajás, em conversa com este site, disse que a versão sobre Vera Oliveira não corresponde com a verdade.

Amanajás disse que a saída dele da Secom-PA tem apenas a ver com uma incompatibilidade de horários, entre o turno dele no Diário do Pará e na Secom.

Aqui está o áudio que ele mandou para os números de WhatsApp de alguns colegas jornalistas e fotógrafos:

Cismas – O primeiro com quem Verinha “cismou” foi o Wagner Santana, que saiu de lá ainda em 2019. Depois, foi Fernando Araújo. Dois anos depois, quem “dançou” foi Ricardo Amanajás.

Até aí, quase tudo certo. Verinha demite quem ela quiser – ou em quem bater de frente com ela, como foi o caso do fotógrafo Mário Quadros, que também era do Diário do Pará, que, mesmo sendo do quadro de servidores da Secult-PA, só não foi exonerado, a pedido de Vera Oliveira, porque tem estabilidade na Secretaria. Mas que ela tentou, tentou.

O pior de tudo é que tem fotógrafo da mesma Secom-PA que usa o próprio carro, dirige e fotografa, só para não “cair em desgraça” com Verinha.

Ricardo Amanajás na cobertura da passagem da tocha olímpica em Belém

5 Comments

    Avatar
  • Égua, siri.

  • Avatar
  • Não é verdade.
    Apesar de ter o meu contato… Não fui procurado pra confirmar.

  • Avatar
  • Quero deixar claro que tudo é mentira.
    A Dedé poderia muito bem me perguntar antes de publicar.
    Volto a afirmar… É mentira.

  • Avatar
  • Dedé boa noite minha amiga eu juro a vc que não sabia que Srª pseuda jornalista queria me demitir juro a vc que não sabia mais agora sei pela sua publicação mais sempre digo que a porta que Deus abre só ele fecha e maior que Deus ninguém só posso dizer que tenho muita pena dessa Srª coitada

      Dedé Mesquita
    • Pois é, Mario. Tentar, ela tentou, mas não conseguiu. Fique esperto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *