Mais um escritor que migrou da imprensa e a jornalista paraense que ganhou o Jabuti

 Mais um escritor que migrou da imprensa e a jornalista paraense que ganhou o Jabuti

O jornalista e escritor Taion Almeida, em foto de Lorens Rodrigues, lança seu primeiro livro

Este ano de 2021 está sendo o que mais revelou um time talentoso de jornalistas paraenses que também enveredaram pela literatura. Temos Adison Ferreira com o romance “Profetas da Amazônia”; Evandro Correa com o livro-reportagem “Sobral Santos II e Novo Amapá – 40 anos das tragédias que abalaram o Brasil”; o livro “O Veneno da Cobra e da Maçã”, de Bianca Levy; o livro de estreia de Iaci Gomes, “Nem te Conto”;  o novo livro da jornalista Ruth Rendeiro intitulado “Paneiro Empanturrado de Histórias”; o livro “Jornalismo na Amazônia, de Rômulo D´Castro; o romance póstumo “#SeTokyo”, do jornalista paraense Ronald Junqueiro; Edyr Augusto Proença, com “Crônicas da Cidade Morena 4” são alguns deles. Mas há também premiados, ou melhor, uma mulher, jornalista e amazônida.

Prêmio Jabuti – Na semana passada, houve mais uma mostra de que os paraenses estão com tudo na área literária. A jornalista Monique Malcher, natural de Santarém, região oeste do Pará, foi a vencedora na categoria Cantos no prestigiado prêmio Jabuti de Literatura, concedido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). O livro dela, “Flor de Gume”, traz temas como alienação parental, violência doméstica e abuso sexual, em 37 contos com narrativas de histórias de mulheres como mãe e avós de Monique, assim como de outras mulheres com quem ela cruzou em sua vivência no jornalismo, entre elas, algumas vítimas de violência doméstica.

A última mulher paraense premiada no Jabuti foi a escritora Olga Savary, como Autora Revelação, em 1971.

Depois de 50 anos, a escritora Monique Malcher é vencedora do prêmio Jabuti de Literatura

Livro do Taion Almeida – O jornalista Taion Almeida lança seu primeiro livro na Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes, que começa nesta quarta-feira, 1, em Belém.

O livro de Taion, “Pedra Preciosa ou A Incrível Aventura Que O Garoto Heliodoro Viveu Após Ouvir A Música Misteriosa Que Emanava da Floresta” é uma das 11 obras contempladas pelo prêmio Dalcídio Jurandir 2019 e será oficialmente lançado em cerimônia oficial na Arena Principal da Feira na tarde do dia 4 de dezembro, sábado, às 16h30.

A sinopse do livro é a seguinte: “Na cidade de Pedra Preciosa o menino Helinho trabalha pesado com a mãe na fábrica de geleias mesmo nas férias! A vida dura é esquecida quando um som hipnótico invade o local vindo da floresta ao lado. Que som maravilhoso! Quem o tocava se ninguém morava lá? Com a ajuda de sua fiel amiga Ágata, o garoto parte para aquela que seria a maior aventura de sua vida! Um turbilhão de emoções, descobertas e magia o aguardam”.

Capa do livro de Taion Almeida

Quem quiser fazer pautinha cultura com o jornalista-escritor é só chamar: taionalmeida@gmail.com ou telefone/ WhatsApp/ Telegram: 98135-7383

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *