FERRAMENTA ACESSÍVEL

Ministério Público Federal lança Sistema de Atendimento a Jornalistas

Ministério Público Federal lança ferramenta visando facilitar o trabalho de jornalistas do todo Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) lançou, na segunda-feira, dia 10, o Sistema de Atendimento a Jornalistas (SAJ), ferramenta que busca facilitar o contato da imprensa com a instituição. A partir de agora, repórteres que queiram solicitar informações ao MPF precisam apenas acessar http://saj.mpf.mp.br de qualquer dispositivo conectado à internet, inclusive celulares.

Não é mais necessário saber de antemão o telefone ou o e-mail da Secretaria de Comunicação Social ou de uma das 32 Assessorias de Comunicação do MPF espalhadas pelo Brasil. Todas essas informações estão no sistema, além de breves explicações sobre as atribuições de cada unidade do MPF, o que auxilia o jornalista a saber a quem procurar.

“Garantir que os jornalistas tenham acesso fácil a informações públicas é premissa básica para que a sociedade como um todo se mantenha bem informada sobre a atuação do Ministério Público Federal. O SAJ é um exemplo prático de aplicação dos princípios da publicidade e eficiência, expressos na Constituição, e aos quais a administração pública deve obediência”, afirma a servidora da área de comunicação do MPF, Allana Albuquerque, que idealizou o sistema.

Mailing sempre atualizado - Outra vantagem é que o próprio jornalista cadastrará suas informações de contato na base de dados que gera o maling, utilizado nas divulgações feitas pelo Ministério Público Federal. Com isso, caso o repórter mude de e-mail, de número de telefone ou até mesmo passe a trabalhar em outro veículo, basta fazer a atualização no SAJ para continuar recebendo as publicações.

Temáticas - O jornalista ainda pode informar se quer ou não receber releases encaminhados pelas assessorias de imprensa do MPF e quais temáticas são de seu interesse, como combate à corrupção, criminal, meio ambiente, comunidades tradicionais, etc. “Por exemplo, se um repórter informa que quer receber divulgações, mas apenas aquelas relacionadas a combate à corrupção, não aparecerá em sua caixa de e-mail um release sobre questão indígena”, explica o analista de comunicação Jéfferson Curtinovi, gerente do projeto de desenvolvimento do SAJ.

Além disso, o sistema ainda permite que um mesmo pedido seja encaminhado a várias unidades do MPF, o que é bastante útil para jornalistas que necessitem de levantamento nacional ou regional para a produzir determinada reportagem.

Históricos - Quando acessa o sistema, o profissional de imprensa também encontra um histórico de seus pedidos, com detalhamento de cada um deles: número, unidade do MPF que ofereceu o atendimento, respostas recebidas, datas de cada uma delas. E ainda tem um espaço para réplicas em formato de chat. Ou seja, caso um atendimento não sane a dúvida por completo, o profissional poderá fazer novas perguntas dentro do mesmo pedido.

Qualificação - O SAJ também traz uma série de vantagens para os assessores de comunicação do MPF. Até hoje, a maioria das assessorias mantinha controle de seus atendimentos à imprensa em tabelas. O sistema garante maior agilidade e confiança no gerenciamento de informações.O serviço permite compartilhamento de dados entre as unidades, como os mailings dos jornalistas, o que tende a qualificar o alcance das divulgações e reduzir o esforço de atualização dos contatos. E oferece maior padronização e rapidez na mensuração desses atendimentos.

“No painel de estatísticas, será possível, por exemplo, com poucos cliques, descobrir qual a temática mais procurada pelos repórteres, um tipo de informação gerencial valiosa para gestores públicos. Se grande parte da procura é voltada para crimes eleitorais, podemos oferecer uma capacitação específica aos assessores de comunicação”, explica Gabriela Brunelli, gerente substituta do projeto de desenvolvimento do SAJ.

Jornalistas que tenham alguma dúvida sobre o sistema podem procurar qualquer uma das assessorias de comunicação do MPF.

Com informações da Assessoria de Comunicação do MPF

Comentários